Pular para o conteúdo principal

Os números da eleição em Contagem




Novo recorde

Alex de Freitas (PSDB) foi eleito prefeito de Contagem com a maior votação da história do município. Foram 223.902 votos. O tucano quebrou o recorde que pertencia ao seu adversário, o atual prefeito Carlin Moura (PCdoB). Em 2012 ele foi eleito com 205.446 votos, o que era até então a maior votação já registrada para um candidato na cidade.

Apoios sem efeito

No primeiro turno, Carlin Moura obteve 79.454 votos. No segundo turno, 82.986. O apoio da ex-prefeita Marília Campos (PT), do ex-prefeito Ademir Lucas (PR), de Newton Cardoso, Newton Cardoso Junior e Jander Filaretti, os três do PMDB, Domingos de Castro (PPL), rendeu a Carlin apenas 3532 votos a mais que a votação obtida no primeiro turno.

Três vezes mais

153.454 é o total de votos que Alex teve, para mais, no segundo turno da eleições. No primeiro turno, Alex chegou em segundo lugar, com 70.358 votos. Somando, Alex teve três vezes mais votos que no primeiro turno.

Vereadores

Foram registrados 581 candidatos a vereador para as eleições de 2016. Em 2012 foram 523.

Esse ano, a maior votação foi da vereador Glória da Aposentadoria (PRB), com 6.162 votos. O vereador eleito com a menor votação foi José Carlos Gomes (PTdoB), com 2006 votos.

Abstenções (pessoas que votaram em branco, nulo ou nem compareceram para votar)

Compareceram para votar no segundo turno das eleições 361.858 (79,19%) eleitores. Foram 9.921 eleitores a menos que os 371.779 (81,36%) que votaram no primeiro turno.  

Contagem registrou no segundo turno 95.073 abstenções (20,81%). No primeiro turno esse número foi de 85.152 (18,64%).

Foram contabilizados no segundo turno 13.771 (3,81%) votos brancos para prefeito em Contagem. No primeiro turno, também para prefeito, foram 27.650. No segundo turno das eleições de 2012, para comparação, foram computados 17.307 votos brancos.

Urnas e substituições

Ao todo, foram utilizadas 1.415 urnas eletrônicas nas eleições em Contagem. Desse total, 10 tiveram de ser substituídas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG). Cinco no primeiro turno, cinco no segundo.


Ocorrências policiais

Em Contagem foram registradas 5 ocorrências policiais no segundo turno das eleições. Foram 2 por venda de bebida alcoólica, com 12 detidos; 3 por boca de urnas, com 3 detidos.

No primeiro turno foram registrados 134 ocorrências, todas para a apreensão de 134 cavaletes.   

Totalização dos votos

No segundo turno, às 19h32, 100% dos votos já haviam sido contados. No primeiro turno foi mais rápido, com o resultado totalizado às 19h05.  

Pesquisa eleitorais

Ao todo, 20 pesquisas de intenção de votos foram registradas nas eleições desse ano.

Mais vices que prefeitos.

Foram registradas 10 candidaturas a prefeito, mas 12 de vice-prefeitos. É que ainda consta nos registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o nome de Roberto da Silva Cardoso (PMDB), irmão do ex-governador Newton Cardoso, e do vereador Irineu Inácio (PSD).

Inicialmente, Roberto Cardosos seria o vice da chapa de Jander Filaretti. Confirmaram, entretanto, o nome da drª Leandra.

Já Irineu seria o vice de Rodinei, mas Kátia Bordoni confirmou-se a vice do PSD.



Dados do TRE-MG 

Comentários

  1. Pode ser interessante para nossa reflexão cidadã, o fato de que, aproximadamente 30.000 eleitores, que votaram em branco ou nulo, no primeiro turno, validaram seus votos, no segundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Encerrada a eleição, é necessários interpretar o recado vindo das urnas.

      Excluir
  2. Carlin perdeu para ele mesmo, o jeito stalinista de querer moldar uma personalidade, e sobre ela criar um culto. Era um vereador simpático e um deputado carismático, mas tornou-se um prefeito arrogante e ausente. O povo sentiu se traído,as nove candidaturas representavam o fora Carlin, e depois no segundo turno as aglutinações de forças dos velhos coronéis e a conveniência de quem pensava que podia fazer a cabeça do povo foi a gota d'água para empurrar mesmo o prefeito. Marília que foi prejudicada pelo Carlin, agora estava com ele, ainda se aliando com Newton e Ademir, foi demais. O povo viu que o interesse geral da população se tornara secundário nesta aliança, foi por isto que elegeram Alex, sem pensar muito, antes era só fora Carlin, mas aglutinando, os três que pensavam poder mandar no voto do povo, passou a ser fora balaio de gato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa eleição deixou um recado claro até para “entendedores” com alguma dificuldade: ninguém é dono do voto do povo. Carlin fez uma grande “aliança política” no segundo turno que lhe renderam pífios 3532 votos.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Para tentar reeleição, Alex de Freitas se joga para o “tudo ou nada”

Depois de passar os dois primeiros anos do seu governo patinando, sem sair do lugar, o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, começa o ano de 2019 se jogando num verdadeiro “tudo ou nada”, na tentativa de viabilizar sua reeleição. Três movimentos evidenciaram seu intento: primeiro, a declaração de que Contagem receberia o “maior pacote de obras da história”, em entrevista para o jornal O Tempo Contagem; segundo, o conjunto de nomeações e movimento de cadeiras dos cargos do governo, terceiro, o anúncio da sua desfiliação do PSDB.
Sobre o anúncio das obras, a natureza da repercussão pode ser conferida nos comentários que se seguiram da publicação da matéria em seu perfil no Facebook. Resumindo, o que mais se registra nos quase 300 comentários é a total incredulidade das pessoas com tudo que Alex anuncia. Foram ironias como “O Natal já passou, agora vamos acreditar no coelhinho da Páscoa”, decepções manifestas, “Fiz campanha pra vc [SIC], mas hoje me arrependo”, e confrontação de contrad…

Em Contagem, debate sobre o IPTU não é fiscal ou jurídico. É sobre traição

Nas primeiras horas da manhã da última terça-feira (22), uma enxurrada de mensagens — disparadas principalmente por integrantes da gestão do prefeito Alex de Freitas (sem partido) — varreu grupos e perfis do whatsapp, com a notícia de que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) teria entrado com uma ação contra os ex-prefeitos de Contagem, Marília Campos (PT), Carlin Moura (PCdoB) e Ademir Lucas (Solidariedade). Em 2017, notícia e ação parecida também ganhou as redes sociais. A mobilização de apoiadores e agentes do governo para a disseminação da notícia registra o interesse do prefeito Alex de Freitas sobre o conteúdo noticioso.
Os ex-prefeitos, na avaliação da promotora de Justiça do Patrimônio Público de Contagem, Michelle Silva Magalhães, teriam praticado “ato de improbidade administrativa ao não recolherem, em suas gestões, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU)”, registra a matéria. Assim, Magalhães, que assina a ação, pede a restituição de R$ 1,1 bilhão.
O que quer o…

Com o caixa da prefeitura no vermelho, Alex de Freitas faz mais uma das suas viagens internacionais

Contraditoriamente ao anúncio de que a Prefeitura de Contagem reduzirá cerca de 300 cargos, entre outras ações que visam redução de gastos, o prefeito Alex de Freitas embarcou  para mais uma das suas viagens internacionais. Serão cerca de 10 dias fora da cidade. Primeiro, ele desembarcará em Roma, na Itália. Depois, em Tel Aviv, em Israel.  Com uma comitiva composta por outros três integrantes do governo, somente em pagamento de diárias serão desembolsados mais de R$ 100 mil.