Pular para o conteúdo principal

Por que Rodinei agora é o candidato, e o Irineu o vice?




Na última segunda-feira, o PSD de Contagem fez um movimento confuso e estabanado, invertendo a ordem da sua chapa. Irineu que era o candidato a prefeito, virou o vice; Rodinei que era o vice, virou o candidato a prefeito.

A inversão dos candidatos remontou em Contagem a uma trama rocambolesca tão estranha quanto a que aconteceu em Belo Horizonte. Lá, o prefeito Márcio Lacerda retirou o apoio ao seu próprio candidato, o economista Paulo Brant, para apoiar e indicar o vice de Délio Malheiros (PSD), seu vice na prefeitura, contra quem, nas últimas semanas, fez todo o possível para retirá-lo da disputa.

Em Contagem, também, pode ter sido o isolamento político de Irineu que ocasionou a inversão da chapa, tendo em vista uma possível coligação com Jander Filaretti, do PMDB, também encolhido na articulação com outros partidos.

Irineu seria o vice de Jander; o contrário também foi cogitado.

Faltou o acerto com, e entre os padrinhos das candidaturas: Marília Campos e Newton Cardoso.

Para Marília, o nome indicado por ela deve encabeçar a chapa. Newton Cardoso pensa inversamente igual: o nome indicado por ele é que deve encabeçar a chapa.

Argumenta-se daqui, contrapõe-se acolá, e nada de acordo. Nem Newton arreda o pé, tampouco Marília.  

Em meio ao impasse, só Irineu se decidiu. Isolado, comunicou à Marília que, assim, sozinho, não seria candidato.  

Sem acordo e sem rumo, surge a idéia da inversão dos postos. Entretanto, Rodinei nunca almejou tal cargo. Há algumas semanas, por exemplo, a apoiadores que lhe sugeriram encabeçar a chapa, foi enfático: “Não há possibilidades, não me preparei e não estou preparado para isso”.

Mesmo assim, ficou acertada a inversão, conforme nota publicada nas redes sociais, tanto no perfil de Irineu, quanto no perfil de Rodinei, e a declaração desse último na sessão de terça-feira (9) da Câmara Municipal.

Esse folhetim confuso colou em outro personagem, ainda que alheio a tudo isso, um sorriso triunfal de canto de boca: o vereador José de Souza (PT). Nem notícia fúnebre lhe retira isso.





Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "Rodinei nunca almejou tal cargo"? Está mal informado(a)... Veja o seguinte vídeo do dia 24/11/2015 a partir de 02:05:30 (https://www.youtube.com/watch?v=Xw6b-LFuN2c).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodinei lançou-se candidato pelo PT para fazer pressão interna no partido. Não era séria a proposta; era jogo de cena.

      Excluir
    2. Registre: Rodinei é um grande quadro político da cidade. Precisa, porém, de maior independência política para alçar os vôos que verdadeiramente quiser.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Para tentar reeleição, Alex de Freitas se joga para o “tudo ou nada”

Depois de passar os dois primeiros anos do seu governo patinando, sem sair do lugar, o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, começa o ano de 2019 se jogando num verdadeiro “tudo ou nada”, na tentativa de viabilizar sua reeleição. Três movimentos evidenciaram seu intento: primeiro, a declaração de que Contagem receberia o “maior pacote de obras da história”, em entrevista para o jornal O Tempo Contagem; segundo, o conjunto de nomeações e movimento de cadeiras dos cargos do governo, terceiro, o anúncio da sua desfiliação do PSDB.
Sobre o anúncio das obras, a natureza da repercussão pode ser conferida nos comentários que se seguiram da publicação da matéria em seu perfil no Facebook. Resumindo, o que mais se registra nos quase 300 comentários é a total incredulidade das pessoas com tudo que Alex anuncia. Foram ironias como “O Natal já passou, agora vamos acreditar no coelhinho da Páscoa”, decepções manifestas, “Fiz campanha pra vc [SIC], mas hoje me arrependo”, e confrontação de contrad…

Em Contagem, debate sobre o IPTU não é fiscal ou jurídico. É sobre traição

Nas primeiras horas da manhã da última terça-feira (22), uma enxurrada de mensagens — disparadas principalmente por integrantes da gestão do prefeito Alex de Freitas (sem partido) — varreu grupos e perfis do whatsapp, com a notícia de que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) teria entrado com uma ação contra os ex-prefeitos de Contagem, Marília Campos (PT), Carlin Moura (PCdoB) e Ademir Lucas (Solidariedade). Em 2017, notícia e ação parecida também ganhou as redes sociais. A mobilização de apoiadores e agentes do governo para a disseminação da notícia registra o interesse do prefeito Alex de Freitas sobre o conteúdo noticioso.
Os ex-prefeitos, na avaliação da promotora de Justiça do Patrimônio Público de Contagem, Michelle Silva Magalhães, teriam praticado “ato de improbidade administrativa ao não recolherem, em suas gestões, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU)”, registra a matéria. Assim, Magalhães, que assina a ação, pede a restituição de R$ 1,1 bilhão.
O que quer o…

Com o caixa da prefeitura no vermelho, Alex de Freitas faz mais uma das suas viagens internacionais

Contraditoriamente ao anúncio de que a Prefeitura de Contagem reduzirá cerca de 300 cargos, entre outras ações que visam redução de gastos, o prefeito Alex de Freitas embarcou  para mais uma das suas viagens internacionais. Serão cerca de 10 dias fora da cidade. Primeiro, ele desembarcará em Roma, na Itália. Depois, em Tel Aviv, em Israel.  Com uma comitiva composta por outros três integrantes do governo, somente em pagamento de diárias serão desembolsados mais de R$ 100 mil.